quinta-feira, 13 de junho de 2013

Mobilidade para quem?!

Engraçado. Pensei em fazer uma publicação sobre o assunto faz um tempo..mas não o fiz. Porém..com essa onda de protestos em SP..principalmente..me voltou à cabeça o assunto e aqui estamos nós. Achei incrível o nível de repercussão que as manifestações tomaram.."independente" da cobertura e do meio de divulgação..a repercussão foi muito notável e válida! Achei ótimo o modo como a coisa cresceu e como tem continuado. É disso que precisamos! Porém..o post não é sobre isso. Faz pouco tempo que a passagem aqui em JP também subiu de preço..lembro que alguns tentaram se organizar para lutar contra o aumento..porém os comentários das pessoas próximas a mim sobre a tentativa eram exatamente a de que isso era coisa de baderneiros e coisa "dos que não tem o que fazer".."revoltados" e "revolucionários frustrados"..entre outras coisas. Engraçado que essas pessoas mudaram totalmente o comentário sobre o que se passa em SP..pelo menos pelo face..onde a maioria tem os amigos da universidade e uma boa parte tem professores que se pronunciam a favor de tal mobilização. Outro fato engraçado é que esses mesmos que defendem a reivindicação e manifestação através da ação..independente do dano que causará à rotina que a maioria segue lá em SP..muda de postura quando as coisas acontecem por aqui..um exemplo claro é a revolta que as pessoas ficam quando ocorre um acidente e você só escuta os comentários sobre se atrasar e sobre a demora do trânsito..sem querer saber do que aconteceu com as pessoas envolvidas no trânsito. Outro exemplo é a participação que as pessoas tem quando são convocadas para participar de alguma mobilização parecida. Porém o que eu quero falar é outra coisa. Foi um fato que aconteceu faz algum tempo e que me chamou a atenção. Eu estava voltando de um evento que ocorreu na Estação Cabo Branco..algumas pessoas subiram no mesmo ônibus que eu e fomos conversando. O ônibus era o 507 (cabo branco)..em uma das paradas da epitácio..próximo à praia..subiram algumas pessoas..dentre elas um grupo de pessoas..que pularam a catraca..foram 3 pessoas mais exatamente..uma menina e dois caras..tinham entre 18 e 25 anos..o cobrador nada fez..nem o motorista..uma das meninas que havia subido comigo no ônibus..começou a tremer e a chorar..ficou com medo deles..mesmo q eles tenham sentado bem a frente de onde estávamos. O que me fez pensar da seguinte forma..eu fiquei assustado com a situação tb..e o medo de ser assaltado foi grande..porém no meio desse medo me coloquei a pensar..e se eu fosse esses cidadãos? E se eu não tivesse dinheiro pra pagar a passagem e quisesse ir à praia ou a outro lugar pra me divertir..o que deveria fazer? ir a pé? ficar por perto de casa? O que me fez me revoltar e pensar que cada vez mais as pessoas estão sendo excluídas e nós nem percebemos..não notamos como o transporte "público" tem tornado cada vez mais difícil o acesso para a população pobre e marginalizada. Se quem tem trabalho..ganha minimamente bem..e consegue sobreviver acha o preço das passagens um roubo e vive reclamando..imagina para os que não tem isso. E o que fazer? ficar excluído e buscar emprego para poder pagar ou buscar outras vias de locomoção?! É..foi exatamente desse episódio que essa revolta pelo preço das passagens me fez lembrar! É triste sermos tão egoístas e olharmos para o que nos interessa de forma tão mesquinha! A questão é delicada..mas que deve ser analisada com um outro tipo de olhar não tenho dúvidas..porque é difícil medir quanto os esteriótipos e leis criadas servem para justiça e até que ponto servem pra excluir e oprimir! Espero que possamos melhorar nossa capacidade analítica e que a solidariedade cresça!

ps: texto totalmente sem vírgulas por conta do teclado quebrado ¬¬'

Um comentário:

  1. Gostei muito do seu texto, Nilson...
    deu vários viés de pensamento!

    ResponderExcluir